14 de outubro de 2011

Lugo



Lugo é uma cidade galega de origem romana e a mais antiga da Galiza. Construída nas proximidades dum castro, na época romana recebeu o nome de Lucus Augusti. São testemunha dos seus primeiros anos de história os numerosos restos romanos, muitos deles conservados no Museu Provincial, e sobretudo a muralha romana, única no mundo que conserva todo o seu perímetro e declarada Património da Humanidade em 2000.


A herança romana da cidade está patente um pouco por todo o lado. A presença da sua muralha marcou a evolução histórica da cidade, e continua a ser o eixo à volta do qual decorre a vida quotidiana em Lugo. O rio Minho está vinculado ao nascimento da cidade, e constitui uma peça fundamental da vida dos lugueses, como lugar de passeio e de ócio, com as suas margens recuperadas e reabilitadas para os passeios, a prática de desporto ou simplesmente para descansar, além de possuir grandes valores naturais e paisagísticos.

Começamos a nossa visita pela parte antiga da cidade, entramos pela Porta de Santiago (a muralha conta com dez portas), que nos oferece a possibilidade de subir à muralha por umas escadas situadas em frente à fachada da Catedral. Do alto da muralha é possível contemplar a paisagem urbana actual da cidade, com edifícios não muito altos no centro e vários espaços livres no sector intramuros (praças, jardins e pátios interiores), que explicam porque é que a muralha se conservou, não sendo necessária a expansão da cidade para fora dos seus limites até datas recentes.





Uma vez completado o percurso pela muralha, descemos pelo mesmo ponto onde tínhamos subido, e podemos contemplar a Catedral; com uma fachada neoclássica, edificada no final do séc. XVIII para substituir a original fachada românica. No seu interior destacam-se as três naves românico-góticas e o trifório, bem como a Capela e a imagem da Virxe dos Ollos Grandes, assim denominada pela expressividade do seu rosto, o coro barroco em madeira e o deambulatório gótico.






Em seguida dirigimo-nos à Praça de Santa María e ao sóbrio Palácio Episcopal, de estilo barroco. Perto encontramos a Praça do Campo, o autêntico coração da cidade, lugar onde seguramente se situava o foro romano e onde se celebraram mercados na urbe durante muitos séculos. No centro existe uma fonte de traça barroca e no seu contorno algumas casas brasonadas com arcos. Esta praça e os seus arredores são a principal zona de vinhos e de tapas de Lugo, que conta também com uma boa oferta de restaurantes.




Continuamos o nosso caminho, e desembocamos da praça de Santo Domingo, outra das praças mais concorridas da cidade, onde se situa o Convento das Agostinhas, com elementos góticos.

Em seguida dirigimo-nos à Praça Maior onde se destaca a Casa Consistorial Barroca e o edifício do Círculo das Artes, de estilo ecléctico de finais do séc. XIX.




Por fim saímos da zona amuralhada e continuamos o percurso até a ponte romana banhada pelo rio Minho.

Concluindo, o visitante que chegar a Lugo pode encontrar uma cidade histórica, monumental e gastronómica.

Sem comentários:

Publicar um comentário