4 de julho de 2011

Moux


O desejo da descoberta de novos sítios e recantos tem vindo a crescer, assim aproveito todas as informações e opiniões fornecidas por amigos e conhecidos sobre os diferentes locais que estes já visitaram, de forma a ter contacto com sítios que não conheço.

Essas conversas com conhecidos e amigos suscitaram-me curiosidade em visitar o sul de França, uma vez que todos eles referenciavam que era um local lindíssimo e surpreendente.

Do sul de França só conhecia (através de pesquisas pela Internet) Carcassonne, a encantadora vila medieval, que há muito que a desejava visitar. O objectivo da visita ao sul de França era precisamente caminhar entre os recantos dessa vila e viver um pouco a experiência de voltar no tempo, vivendo cada pormenor que a vila medieval nos podia proporcionar.

Uma vez que temos família a viver perto de Carcassonne, na vila de Moux, há 18 anos, aproveitamos o desejo da descoberta e as saudades da família para realizarmos a viagem até ao sul de França, através dos voos Ryanair Porto/Carcassonne.

Quando chegamos a França fomos recebidos pela família de braços abertos, ficando acolhidos na vila de Moux, um local pequeno, mas muito acolhedor. A família disponibilizou-nos um carro para percorrermos os vários locais que desejávamos conhecer.

A nossa descoberta começou pela vila onde ficamos acolhidos – Moux.

A aldeia de Moux está localizada no departamento de Aude na região de Languedoc-Roussillon, pertencendo ao distrito de Carcassonne.

A aldeia está localizada numa planície entre colinas situadas a norte e sudoeste, situando-se a sul a montanha de Alaric.

Desde o século IX, que Moux é considerada uma vila romana.

Esta vila é considerada o berço de muitos poetas, escritores e romancista, entre eles: Prosper Huc-Mestre, Jean Lebrau, Henry Bataille, Fédou Armand, Roland Farré para citar os mais famosos.

Como esta foi o berço do poeta Henry Bataille (1872-1922), o seu túmulo está presente nesta vila, sendo este adornado por uma estátua particularmente diferente – um esqueleto.




Ao percorrermos os caminhos desta pequena vila cruzamo-nos com algumas atracções entre elas as ruínas do castelo de São Pedro, a igreja matriz do séc. XIII e XIV, a porta da cidade do séc. XIII e o famoso túmulo do peota Henry Bataille.





Considero Moux um pequeno recanto que fomenta a serenidade instalada dentro de cada um de nós.

A descoberta pelo sul de França vai continuar a ser narrada nos próximos post’s.

Sem comentários:

Publicar um comentário